noticias355 Seja bem vindo ao nosso site Rádio Cidade FM TP!

RIO GRANDE DO SUL

"Precisamos viabilizar um plano robusto de resiliência climática", diz Eduardo Leite sobre os desafios para reconstrução do Estado

Governador frisou que a recuperação envolve várias frentes, e que o governo atua em todas elas de forma conjunta

Publicada em 10/06/2024 às 14:50h

Gaúcha ZH


Compartilhe
Compartilhar a noticia   Compartilhar a noticia   Compartilhar a noticia

Link da Notícia:
Marina
cresol

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha, na manhã desta segunda-feira (10), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, falou sobre os desafios para reconstrução do Estado após a enchente de maio.

 — O mais importante que me parece nesse processo todo, além de cuidar das pessoas, cuidar da economia, da infraestrutura, é também viabilizar um plano robusto de resiliência  e adaptação climática para que o Estado todo tenha a segurança de que ali na frente quando houver novamente algum tipo de situação climática extrema, os danos e os prejuízos serão contidos e evitados ao máximo a partir deste plano — declarou.

Ainda sobre o Plano de Resiliência Climática, Leite falou que não tem como determinar um prazo para a implementação de novas medidas para a proteção do Estado. 

— Não tem como precisar, mas o que eu asseguro para a população gaúcha é que o Estado já está se ocupando disso. 

Ele também falou sobre o impacto ambiental, que deve ser levado em conta na hora de implementar as ações do plano.

 — Uma intervenção para fazer um sistema de proteção envolve também, em algum grau, um impacto ambiental. Isso não se pode sair fazendo sem fazer uma análise ambiental. 

Sobre as medidas a curto prazo, Leite citou a Defesa Civil como principal agente para evitar maiores desastres e as medidas utilizadas para fortalecer os alertas emitidos pelo órgão.

— Em curtíssimo prazo não tem o que fazer. O primeiro passo é trabalhar nos alertas da Defesa Civil. Teremos um novo radar meteorológico para ser instalado em Montenegro, que já está a caminho do Estado.

Leite explicou como irá funcionar o novo programa habitacional, anunciado na última sexta-feira (7).

— Neste plano teremos uma inovação para o Rio Grande do Sul, trata-se do programa de porta de entrada. Muitas famílias conseguem pagar um aluguel hoje em dia, mas não conseguem comprar um imóvel porque não conseguem o recurso para dar de entrada. Nós vamos disponibilizar isso para famílias de até cinco salários mínimos e vamos incluir os servidores públicos. O Estado vai regulamentar esta lei, estabelecendo aí um valor de R$ 20 mil que ajude a dar entrada para a habitação.

Eduardo Leite frisou que a reconstrução envolve várias frentes, e que o governo atua em todas  elas de forma conjunta.

— Temos o aspecto social, no atendimento aos que estão desabrigados, vivendo em abrigos. Depois temos a questão econômica, os auxílios para a população atingida, empresários, comerciantes e também, por exemplo, uma grande frente de infraestrutura atuando na recuperação de pontes e estradas.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (55) 9 9709-8207

Visitas: 168787
Usuários Online: 4
Copyright (c) 2024 - Rádio Cidade FM TP
Converse conosco pelo Whatsapp!